terça-feira, 7 de julho de 2020

Viagem para Marte pode ter sobrevoo em Vênus

A viagem para Marte é um dos grandes objetivos da humanidade em relação a exploração espacial, mas o caminho até o planeta vermelho pode incluir uma visita em Vênus.

Vênus/NASA/Reprodução
Vênus/NASA/Reprodução

Cientistas acreditam que um sobrevoo em Vênus pode ser benéfico para as missões em Marte, pois deixaria os custos da viagem mais barata e tornaria mais rápida a viagem.

"Um voo para Marte pode acontecer de forma mais rápida e barata se envolver um sobrevoo de Vênus no caminho do planeta vermelho", disse Noam Izenberg, geólogo planetário da Universidade Johns Hopkins, em entrevista à Space.

A parada em Vênus é defendida por várias cientistas que dizem que isso não é apenas um opção, mas sim algo de extrema importância para se chegar ao planeta vermelho. Existe duas opção para se chegar no planeta marciano. 

A primeira opção para se chegar em Marte é a mais simples, na qual uma espaçonave parte da Terra em direção à Marte quando os dois planetas se alinham em suas órbitas. Em Marte, os astronautas precisariam esperar pelo o alinhamento para que pudessem voltar à Terra. A parte complicada no alinhamento é que isso pode levar até um ano e meio para que aconteça.

O asteroide que a NASA tentará desviar em sua primeira missão de defesa planetária
Cientistas detectam brilho verde na atmosfera de Marte
Música é criada a partir de ondas acústicas de estrelas

Já a segunda opção inclui um sobrevoo em Vênus durante o trajeto até Marte ou em uma viagem de volta à Terra. Nesse trajeto, uma espaçonave passaria por Vênus e usaria a gravidade do planeta para alterar o curso. O sobrevoo em Vênus e o uso gravidade economizaria energia e consequentemente o custo também seria barateado. 

Uma ida até Vênus também seria útil caso acontecesse algo de errado na missão, assim os astronautas estariam mais próximo da Terra e isso facilitaria a volta. Além disso, poderia ser feita uma missão para estudar e entender melhor o planeta Vênus, utilizando apenas com o custo da viagem para Marte.

"Há ciência em dois planetas por muito menos do que o preço de duas missões tripuladas separadas", disse Paul Byrne, geólogo planetário da Universidade Estadual da Carolina do Norte, em entrevista ao Space.

Fique por dentro de um novo mundo curtindo e seguindo CAVASIER no Facebook, Instagram e Twitter e se inscrevendo no canal no YouTube

Postar um comentário

Whatsapp Button works on Mobile Device only