quarta-feira, 29 de abril de 2020

O maior buraco registrado na camada de ozônio do Ártico se fechou

No último mês de março, cientistas encontraram um buraco com mais de um milhão de quilômetros quadrados na camada de ozônio, o maior até então descoberto. Para a surpresa de todos, o buraco se fechou. 

Planeta Terra/Reprodução
Planeta Terra/Reprodução

O anúncio foi feito pelo Copernicus, programa da União Europeia para observar a Terra. De acordo com a Copernicus, o fechamento do buraco não tem ligação com o isolamento ocorrido no mundo todo devido ao novo coronavírus, o COVID-19.





Diferente da maioria, esse buraco não foi causado por poluição, e sim por um vórtice polar extremamente forte. O vórtice foi perdendo força e consequentemente o buraco na camada de ozônio foi se fechando. 

. Destroços em Pompeia indicam que romanos reciclavam lixo 
Cientistas recriam a voz de múmia egípcia de 3 mil anos
. Encontrados mais de mil artefatos vikings na Noruega

Esse imenso buraco também foi responsável por acabar com ozônio encontrado em cerca de 18 quilômetros de estratosfera. A última vez que algo semelhante aconteceu foi em 2011, também no Ártico.

Fique por dentro de um novo mundo curtindo e seguindo CAVASIER no Facebook, Instagram e Twitter e se inscrevendo no canal no YouTube

Postar um comentário

Whatsapp Button works on Mobile Device only